NOTA DE REPÚDIO

18/04/2020 | Home PageNotícias
Fonte: A A A

A Associação dos Oficiais da Polícia e Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (ASSOF) vem a público externar sua indignação e total repúdio à postagem realizada pelo Promotor de Justiça Haroldo Caetano em suas redes sociais, onde ataca de forma absolutamente preconceituosa e injustificável os integrantes da Guarda Municipal de Goiânia e da Polícia Militar do Estado de Goiás, com o seguinte teor:

“A guarda metropolitana de Goiânia é qualquer coisa, menos guarda civil. E a concorrência estética com o que há de pior na PM é visível.”

Frequentemente a Polícia Militar, por sua missão constitucional, grandeza e expressividade no contexto social, figura como alvo da sanha difamatória de pessoas que buscam os holofotes a qualquer custo. Via de regra a Instituição e seus componentes ignoram as provocações recebidas, buscando retirar das críticas, mesmo das mais estabanadas e destrutivas, lições para aperfeiçoamento da prestação de serviços e atendimento aos anseios da sociedade.

Todavia, a deselegância e o potencial difamatório de tal mensagem não podem ser ignorados. Nem mesmo o direito constitucional à liberdade de expressão ampara um comportamento tão ofensivo e passional por parte de uma autoridade que deveria ser responsável pela defesa da ordem jurídica, do Regime Democrático de Direito e dos interesses sociais e individuais indisponíveis.

Infelizmente, uma sanha desmedida por notoriedade tem pautado as ações de alguns agentes públicos que buscam tirar proveito de suas condições profissionais para realização de projetos pessoais. Alguns simplesmente não medem as consequências de seus atos na busca por maior visibilidade e espaço na mídia.

Não existem razões capazes de justificar o ataque e desmerecimento às Instituições públicas e nada de bom se acrescenta com a propagação de generalizações e preconceitos. Assim, o mínimo que se pode esperar de uma autoridade é que esta trate os demais agentes públicos, principalmente os ungidos para proteção da vida em sociedade, com a consideração e respeito que são devidos a qualquer ser humano.
Condenar o “todo” com base em “exceções” atende exclusivamente a interesses espúrios, pois premia os desonestos, covardes e calhordas com a socialização dos erros, subsumindo as responsabilidades individuais com o nivelamento da generalização. E a história recente do Brasil comprova que desacreditar Instituições perante a opinião pública é um desserviço ao Estado Democrático de Direito.
Justamente por isso a ASSOF reafirma seu apreço e confiança no Ministério Público do Estado de Goiás e em seus integrantes, entendendo que este triste episódio é um fato isolado, que destoa totalmente do comportamento esperado de quem deve figurar verdadeiramente como um “Promotor de Justiça”, colocando os préstimos de seu departamento jurídico à disposição para busca da individualização de condutas e responsabilização dos autores de quaisquer tipos de ataques às Instituições e aos Militares Estaduais.
Por fim, resta apenas registrar nossos mais efusivos agradecimentos e reconhecimento a todos os Policiais Militares, Bombeiros Militares e demais servidores da área de segurança pública e justiça de Goiás e a todos os integrantes das Guardas Municipais de Goiânia e demais cidades do Estado, parabenizando-os pelo trabalho realizado em defesa da sociedade e pelos esforços e riscos redobrados neste período de combate à pandemia do COVID-19.

Anésio Barbosa da Cruz Junior – Coronel PM
Presidente da ASSOF

Publicado por:


Compartilhe nas Redes